quinta-feira, 5 de maio de 2011

CRÍTICA ESPECIALIZADA “RASGA ELOGIOS” AO TEATRO POPULAR DE ILHÉUS

“Entre muitas coisas admiráveis em Teodorico Majes-
tade, destaca-se a consciência dos atores, que são ótimos
cômicos, mas não se deixam levar pela própria graça, explo-
rando efeitos à caça do riso fácil, Há um rigor explícito na
condução da trama, uma sobriedade na interpretação, que
longe de diluir a comicidade torna-a crítica e consequente.
Um belo e digno exemplo de teatro popular”.
Sebastião Milaré


A apresentação de “Teodorico Majestade – As Últimas Horas de Um Prefeito”, na VI Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, emocionou o público presente na sala Jardel Filho, do Centro Cultural São Paulo.

 A encenação do Teatro Popular de Ilhéus, no dia 1º de maio, encerrou o evento que reuniu 33 companhias teatrais da America latina e da Europa.

Além de propiciar o êxtase das pessoas que assistiram, Teodorico Majestade rendeu elogios de dois analistas respeitados no meio teatral: os críticos Sebastião Milaré e o colombiano José Assad.
Milaré, nascido em Guapiaçu (SP), em 1945, fundou a revista “Antaprofana” e escreve críticas para publicações estrangeiras importantes, como: La Escena Latino América, Diógenes e Sete Palcos. Além disso, é um dos principais estudiosos da obra do diretor Antunes Filho, um dos ícones do teatro brasileiro.
Assad é membro da ITI, uma organização mundial de Teatro, que tem o apoio da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Ambos ressaltaram a comicidade atraente do espetáculo. Milaré destacou a consciência dos atores, “que são ótimos cômicos, mas não se deixam levar pela própria graça, explorando efeitos à caça do riso fácil”. Satisfeito com a crítica política, ele afirmou que “há um rigor explícito na condução da trama, uma sobriedade na interpretação, que longe de diluir a comicidade torna-a crítica e conseqüente”. O colombiano Assad considerou o teatro “vivo e festivo” do TPI, digno de celebrados autores, a exemplo de: Aristófanes, Molière e Lope de Vega. Segundo ele, Teodorico Majestade acerta contas com o elemento transgressor dos costumes sociais (o político desonesto), submetendo-o ao escárnio público. As críticas podem ser conferidas no endereço http://www.mostralatinoamericana.com.br/?p=1595

Depois da excelente recepção em São Paulo, o Teatro Popular de Ilhéus prepara a estréia de “O Inspetor Geral – sai o prefeito entra o vice”, continuação de “Teodorico”, inspirado na obra do escritor russo Nikolai Gogol.

A primeira apresentação será no dia 13 de maio, na capital paulista. A montagem tem o apoio do SESI/São Paulo.

Um comentário:

Solange disse...

Ai que orgulho!!!!
Parabéns a xibungada toda ai, viu?
Vocês merecem!
Beijos e muita saudade,
Solange Valladão